sábado, 25 de maio de 2013



ESPETÁCULO POLÍTICO-CIRCENSE

            Na manhã de hoje, sábado, dia 25/05, um circo foi armado para a solenidade de assinatura da Ordem de Serviço referente ao início das obras que levarão água potável ao Núcleo Rural Rajadinha II, em Planaltina-DF. Segundo o convite que recebi, o evento estava marcado para as 10 horas e, como de costume, cheguei 10 minutos antes do horário marcado, entanto, nada ainda estava pronto para o inicio do evento, que tinha como atrações principais alguns rostos já conhecidos no cenário político de Brasília: Cláudio Abrantes, Dr. Michel, Eliana Pedrosa e Roney Nemer.
            Estava no script: mesmo com o circo praticamente lotado, o espetáculo não poderia ter início antes da chegada das atrações principais: o Governador Agnelo e o seu vice, Tadeu Filipelli.
            Por causa do sol escaldante, o “(des)respeitável público” se espremia embaixo duma tenda de lona, improvisada pela anfitriã do evento - a Administração Regional de Planaltina -, responsável pela organização do espetáculo e pelo “arrebanhamento” da plateia.
            As horas iam passando, o sol esquentando e o público, que àquela altura era grande, se dispersando.
Exatamente às 11 horas e 55 minutos chegou a primeira “estrala” da manhã, o Vice-Governador do DF, que fora cercado pelos “bajuladores de carteirinha” como se fosse ele um grande astro hollywoodiano recém-premiado com o Oscar.
            Era perceptível a impaciência dos que chegaram cedo e aguardavam o início da “festividade”; era de causar dó a fisionomia de cansaço e de fome dos que, bravamente, resistiam à FALTA DE RESPEITO dos envolvidos naquele vergonhoso “espetáculo político-circense”, cuja plateia fazia as vezes de palhaço.
            Às 13 horas, finalmente alguém pega o microfone e anuncia que em cinco minutos o espetáculo começaria, pois o grande nome do evento, a celebridade-mor, o popstar Agnelo estava chegando.
            Pacientemente, esperei até as 13 horas e vinte minutos, e nada de o Governador chegar, nada de o evento começar...
Entrei no meu carro e fui embora.

Um comentário:

Francisco A. de Azevedo disse...

É ASSIM! PODEMOS CONFIAR NELES?